TDC 2017 Florianópolis – Trilha Dinâmicas e Facilitações – Saiba o que rolou

banner-tdc2017-floripa-trilha-dinamicas-e-facilitacoes

O The Developers Conference é um evento de comunidades de tecnologia, e ocorre de 3 a 6 de Maio em Florianópolis. Com mais de 30 trilhas, diversas palestras e cerca de 5 mil inscritos, o TDC é um dos eventos que mais movimenta pessoas e comunidades no Brasil.

Este ano participei do TDC Florianópolis, – meu primeiro evento fora do RS – e quero compartilhar através deste post um pouco do que rolou e o que aprendi na Trilha de Dinâmicas e Facilitações. Aproveitando, se você também estava na Trilha e tiver mais percepções, anotações e aprendizados a compartilhar, fique a vontade para adicionar aos comentários, mandar e-mail, mandar sinal de fumaça, que vou tentar complementar aqui. O objetivo deste post é compartilhar e trocar experiências. Vamos lá?

Ice Breaker

Annelise Gripp e Cristina Costa

Ice Breaker ou Quebra gelo, é um tipo de dinâmica que visa literalmente “quebra-gelo”, deixando as pessoas envolvidas naquele momento – neste caso,  a trilha – mais a vontade para interagir. O Ice Break utilizado foi o Imite um animal, que funciona da seguinte forma:

  • Formam-se duplas (de preferência com pessoas que você não conhece)
  • Em uma folha, cada um escreve o seu nome e um animal para sua dupla imitar
  • (Até aqui as pessoas acreditam que é realmente a dupla que irá imitar o animal escolhido)
  • O animal escolhido para o par, deve ser imitado por quem escolheu
  • É válido que os pares digam se a imitação foi convincente ou não

Obs.: Eu escolhi Elefante e meu par escolheu Macaco 🙂

 

Inspiration Canvas – O que te inspira?

Samuel Lucas

O Inspiration Canvas é uma dinâmica com o objetivo de ajudar pessoas e equipes a entenderem quais são suas inspirações, levando em consideração o que torna aquela pessoa uma inpiração, quais são suas diferenças em relação a estas inspirações, e quais são os diferenciais em relação a estas. Funciona da seguinte forma:

  • Cada um pega um papel e uma caneta para responder as perguntas
  • Listam-se quais são as pessoas ou coisas que inspiram cada um
  • Com base no que foi listado, são listados fatos, atitudes ou ações que estas inspirações façam e que sirvam de inspiração
  • Depois, são listados fatos, atitudes ou ações que estes façam, mas que você não faz. O objetivo é identificar suas diferenças em relação a estas inspirações.
  • E por último, são listados fatos, atitudes e ações  que estes não fazem, mas que você faz. O objetivo é identificar qual é o seu diferencial.

Em posse destas informações, o time pode conduzir uma conversa para elevar o nível de autoconhecimento entre os membros do time, ou utilizar como base de conhecimento para suas inspirações, ou simplesmente para ter consciências destas.

Obs.: Se quiser visualizar a imagem do Canvas, apresentação e mais detalhes, acesse aqui.

 

Keep Talking and Nobody Explodes: Trabalhando a Comunicação com o Time

Rafael Targino / Michele Milane Tambosi Weiss / Debora Cristina Ramos

Keep Talking and Nobody Explodes é um jogo, que ajuda a trabalhar a comunicação em equipe. No jogo, o time possui um desafio / problema a ser resolvido e a chave para a resolução deste problema é uma boa comunicação bidirecional. Funciona da seguinte forma:

  • Escolhem-se os times. Neste caso, foram 4 pessoas
  • Um membro do time fica responsável por executar os comandos para desarmar a bomba. Os outros três são responsáveis por descobrir quais os comandos necessários para desarmara bomba
  • Obs.: cada responsável só pode ver / interagir com os artefatos no qual é responsável – neste caso a bomba e a documentação.
  • O jogo inicia, e possui um tempo para ser resolvido – neste caso, foram 5 minutos.
  • Os times devem conversar para conseguir desarmar a bomba. Cada um, passa as informações de acordo com o que tem em mãos – bomba ou documentação.

Após o fim da partida, é notório diversos pontos de melhoria que poderiam ser aplicados no que diz respeito a comunicação entre os membros do time. Tanto os participantes quanto quem estava assistindo, identificaram e compartilharam suas percepções. Dentre estas:

  • Falta de informações por parte do “desarmador da bomba”
  • Repetição de informações
  • Falta de comunicação bidirecional

Para finalizar, foram compartilhadas diversas lições aprendidas com a aplicação deste jogo e que tem relação com o contexto de comunicação em times de trabalho.

Obs.: Eu era parte do time e fiquei responsável por desarmar a bomba. No momento da execução faltou empatia de minha parte, entender exatamente o que eles precisavam, talvez questionar mais do que passar informações, usar parte do tempo para entender o contexto deles e como estava se organizando para depois começar a passar mais infos. Jogaria denovo 🙂

 

Desafio ToolBox

Jorge Audy (Mário)

Desafio Toolbox é um jogo para a prática e aprendizado de técnicas de engenharia de software. O jogo é composto de:

  • Um baralho com aproximadamente 60 técnicas de engenharia diferentes
  • Uma lista de “desafios”, que serão resolvidos utilizando as opções do baralho
  • Uma mesa com as posições (1 a 8) para colocar as técnicas e com a “estrada” para acompanhar a evolução de cada um a cada rodada

… E funciona da seguinte forma:

  • Após embaralhar, são distribuídas 5 cartas (técnicas) para cada um
  • É colocado um desafio, que deverá ser resolvido utilizando as cartas que os jogadores tem em mãos
  • Cada jogador pode propôr uma carta (técnica) que tenha em mãos e que acredita que se encaixe em alguma etapa da resolução do desafio
  • O ideal é que sejam feitas várias rodadas para que o máximo de técnicas seja explorado, e em diferentes contextos.

O interessante é que o jogo não necessariamente precisa de um vencedor ou de um fim. Por instigar a reflexão e interação entre os jogadores, acaba sendo mais colaborativo do que competitivo. Além disso, proporciona a proposta para resolução de problemas com um leque de técnicas bem variado e flexível, uma vez que os jogadores podem propor alguma técnica que conheçam e tenham aplicado mesmo que esta não esteja no baralho.

Obs.: No almoço, participei junto de outros 3 grupos de algumas rodadas do Desafio Toolbox. 

 

Game Of Quality – Vamos jogar?

Rodrigo Murari Severo

Game of Quality é um jogo para exercitar e aprender sobre técnicas de testes de software. O jogo é composto de:

  • Um baralho com técnicas de testes (aproximadamente 30 técnicas)
  • Uma lista de problemas / desafios para serem resolvidos

… E funciona da seguinte forma:

  • São definidos grupos (no evento, pessoas que tinham experiência com qualidade puxaram os grupos)
  • É distribuído um baralho de técnicas para cada grupo
  • O facilitador da dinâmica passa o desafio / problema para os grupos
  • Os membros de cada grupo conversam entre si e definem três (3) técnicas que poderiam atender ao problema proposto.
  • Após o limite de tempo estipulado, os grupos compartilham suas escolhas
  • O facilitador passa o “gabarito” com as técnicas esperadas e, para cada técnica escolhida de forma incorreta, o grupo perde um integrante
  • Vence o grupo que tiver mais integrantes ao final dos desafios.

 

O fato de ser em grupo e orientado a trabalho em equipe estimula a comunicação, e proporciona uma troca de experiências, opiniões e reflexão conjunta, que se assemelha muito a ambientes reais de trabalho onde muitas vezes temos pessoas de diferentes contextos trabalhando em estratégias para resolver uma determinada necessidade.

Obs.: O prêmio era uma caixa de chocolate. Meu grupo perdeu, ficamos sem chocolate, mas valeu o aprendizado. 

 

Palavras-chave (ou coisas que recomendo para pesquisa após ler o post):

  • Ice Breakers
  • Inspiration Canvas
  • Motivação e Autoconhecimento
  • Business Model You
  • Jogos para melhoria contínua
  • Comunicação entre equipes
  • Jogos para aprender conceitos
  • Toolbox
  • Lego Serious Play
  • Técnicas de testes
  • Game of Quality
  • Tabela periódica das retrospectivas ágeis

 

E teve também… (Backlog):

  • Retrospectivas em equipes ágeis
  • LEGO® SERIOUS PLAY®: utilizando blocos de LEGO® como ferramenta de gestão
  • Conectando conceitos a jogos – A melhor forma de aprender!
  • Incentivando a cultura do feedback com uma ferramenta ágil
  • Porque eventos de tecnologia são lugares hostis para mulheres, da perspectiva de um homem

**Este post está em constando construção / evolução. Tem algo a acrescentar? Comenta aí! 🙂

Link para a Trilha

Extra: O Jorge Audy  gravou e transmitiu ao vivo no Facebook todas (ou grande parte) das palestras desta Trilha. Se quiser assistir, é só acessar o perfil dele no Facebook 😉

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s